Cirurgia da Capitu

Quando tudo estava bem, no final do ano passado tive que fazer uma cirurgia. Minha barriga doía e em uma manhã eu não quis comer. Aí minha humana me levou correndo lá na Quatro Patas. Quando chegamos e a titia Marlene soube que eu não queria comer, ela já disse que era grave. Kkkk

Depois de exame clínico e uma ecografia, marcamos a cirurgia porque desconfiavam que eu havia engolido alguma coisa estranha.

Cheguei na clínica pela manhã e depois de tirar uma soneca, acordei meio tontinha, com a barriga pelada e cortada. Mas pelo menos me colocaram aquele macacão fofo.

Quando meus humanos foram me buscar a noite, o titio Ilson mostrou algumas coisas que ele tirou da minha barriga: um pedaço de uma antiga caminha plástica, um pedaço de uma bandana que minha humana tinha feito para mim, uma sacola plástica e muuuuito pelo. Ou seja, nada de estranho. Só não vamos colocar essa foto aqui porque não seria elegante. Na verdade seria “eca”, mas não estranho para quem conhece minhas habilidades gastronômicas. Kkkkk

Quando chegamos em casa a vovó veio me ver. Eu ganhei colinho dos nossos humanos para sair do carro.

Tive que tomar um montão de remédios por vários dias. Mas a parte boa é que ganhei comidinha de verdade. Tive que comer arroz com frango por vários dias.

Fiquei boa bem rápido. Em quinze dias já estava comendo ração, estava sem os pontos, sem curativo e sem a roupinha fofa. A maninha cuidou de mim. Óbvio! Assim ela também ganhava frango.

Poliana cuidando de mim.

Hoje estou super bem. Até já comi uma moeda de 10 centavos e uma esponja de lavar louças, para ver se meu estômago está bom mesmo. Obrigadinha Dr Ilson e Dra Marlene da 4 Patas Clínica Veterinária de Porto Alegre. Estou pronta pra outra.

Poliana e a aula de violão

Hoje sou eu, a Poliana Margarida, que vou contar sobre um local muito legal que eu fui. Um lugar Pet Friendly em Porto Alegre. Antes de operar, eu tive que fazer uma avaliação médica. Só que era exatamente no dia da aula de violão dos nossos humanos e da vovó. Como não dava tempo de eles me levarem em casa sem se atrasarem para a aula, ……fui na aula com eles.

Muito legal! Lá na Escola de Música The Flash todos os cães são bem vindos. O proprietário, professor Diásper até tirou fotos minhas na aula. No momento eu não estava prestando muita atenção porque queria que prestassem atenção em mim.

O professor Rafael Lopes ensinou um monte de coisas novas e gostou de ter quatro alunos na aula. Eu era a mais atenta e até ajudei o prof. Eu ficava um pouco com cada humano para ver se estavam tocando bem.

A Lisi foi quem me deu mais atenção. Ela ficou me afofando na hora do recreio. Mas passou muito rápido.

Na próxima vez vou convidar a Capitu. Vai ser uma aula Golden.

Cirurgia(s) para ruptura(s) de ligamento(s)

Nosssssa! Não escrevemos desde fevereiro. Mas as coisas estavam um pouco complicadas por aqui.

Março foi legal. Tiramos férias e passamos uns dias na Pet de sempre, lá no tio Rafa.

Em abril foi que a coisa ficou ruim. Uma sexta-feira a tarde, eu estava brincando com a minha maninha Poliana. Sei que nossa brincadeira parece jiu jitsu, mas nunca é para machucar.

Aconteceu que a Poliana rompeu o ligamento do joelho. Simmmm. Isso infelizmente acontece com cachorros também. A veterinária sugeriu tentar uma melhora apenas com medicamentos por uma semana.

A semana se passou e a Poliana nada de melhorar. Então nossos humanos perceberam que não teríamos como fugir da cirurgia. Coitadinha da |Poliana. A recuperação seria lenta e eu teria que colaborar.

Logo após a cirurgia, a querida Dra. Alessandra Ventura, veterinária cirurgiã, nos mandou essa foto da Poli um pouco sonolenta ainda. Uma ótima profissional além de muito carinhosa com a Poliana Margarida.

Essa imagem tem um atributo alt vazio; o nome do arquivo é img-20190430-wa0017.jpg

Foi tudo bem na cirurgia e a Poliana veio para casa a noite ainda com sono. Nossa humana preparou um cantinho da ela ficar sozinha e quietinha. Mas eu não gostei. Chorei e bati na porta a noite toda. Estava preocupada com a Poliana. Queria ficar com ela.

Ela usava aquela roupa fofa igual a que eu usei depois da cirurgia da castração. Tomou muitos remédios durante muitos dias.

Mas o melhor, é que, com o passar dos dias, eu pude dormir junto com ela. Assim eu poderia avisar nossos humanos caso a Poliana precisasse de alguma coisa.

Ela tomava muita medicação nos primeiros dias. Tinha que fazer duas sessões de fisioterapia por dia e três de gelo. Na primeira semana ela deveria caminhar 5 minutos, duas vezes ao dia com passos de formiguinha. Essa eu podia participar e sempre ia junto.

A maninha operou o joelho em uma terça-feira. No domingo seguinte, durante a caminhada da manhã, ela foi subir a calçada e empacou. Nossa humana já percebeu o que tinha acontecido. Nosso humano levou a Poli de volta para casa no colinho.

A Poliana tinha rompido o ligamento do outro joelho. Simmmm. Isso pode acontecer dentro de um período de dois anos após a primeira cirurgia. Mas menos de uma semana é quase inacreditável. Enviamos um vídeo para cirurgiã e nem ela acreditou. Na terça a Poliana estava operando novamente.

Ela ficou muito chateada nesse meio tempo.

Mas a carinha de felicidade depois foi tão incrível que não resistimos e enviamos uma foto para a tia Ale (é a Dra. Alessandra, mas agora depois de 2 cirurgias, elas estão íntimas).

Um dia depois da segunda cirurgia.

Só que aí teve que começar tudo de novo. medicamentos, fisioterapia, gelo e caminhadas. No início de junho a Poliana foi liberada das fisioterapias pela Dra. Alessandra mas começou para subir lombas e escadas. Ela perdeu muita massa muscular nas pernas e agora tem que se exercitar. E eu junto. Afffff.

Em julho, quando fomos fazer nossas vacinas lá na titia Marlene, ganhamos elogios. Claro né?!? Com tantas caminhadas, eu perdi 4Kg e a Poliana 6Kg. Mas dizem que eu ainda tenho que perder mais alguns, para não correr o risco de ter que operar também.

Comer é tão bom!!!

Agosto fica para o próximo post. Afinal de contas, é nosso mês de férias. Mas já posso dizer que a Poliana está bem melhor, apesar de parecer um frango com as duas pernas depiladas. Kkkkkkk. Brincadeira. Estaremos sempre juntas Poliana Margarida, assim como na foto de nossas patinhas que abre este post.

Nós até já ensaiamos retomar nosso jiu jitsu Golden.

NOVO VISUAL

De novo passamos um tempão sem escrever. O verão aqui em Porto Alegre chegou bem cedo este ano e estamos sempre com preguiça. Passamos o dia fazendo nada e isso dá uma moleza…..

Está muito quente até para passear cedinho ou depois que escurece. Com o asfalto quente, podemos queimar nossas patinhas. Preferimos aproveitar a água geladinha que ganhamos pela manhã e no meio da tarde.

Pelo menos continuamos indo para a praia nos finais de semana. E na semana passada, dia 20 de janeiro, eu fiz 6 aninhos. De presente de aniversário, eu e a Poliana ganhamos um dia lá na tia Fran, no canil onde nasci.

franwillshouse.com.br

Tomamos um super banho e depois nos embelezamos com o Trimming. Ficamos lindas para passarmos o findi na praia.

Vejam as fotos do antes e depois e digam se não ficamos muito fofas. Claro que os pom-pons dão um toque a mais em nosso charme pessoal.

CAPITU (ANTES)

CAPITU (DEPOIS)

POLIANA (ANTES)

POLIANA (DEPOIS)

Além de bonitas, nos sentimos mais leves. Fomos direto para a praia. Fizemos o maior sucesso.

CANSADAS E FELIZES

E depois da comidinha, dormimos por muitas horas.

FOI UM GOLDEN DIA!!!

Uma Golden chamada Poliana

Oi pessoal! Eu me chamo POLIANA MARGARIDA. POLIANA por causa de um livro que minha humana leu quando era criança (ela diz que a história da menina do livro é parecida com a minha) e MARGARIDA porque eu apareci na vida de dois humanos e uma canina.

20170902_123611-1

Meus humanos também me chamam de Poli, Pequena, Pequenininha, Maninha, Sem Vergonha e Grude.

Minha maninha Capitu sempre contou histórias legais aqui no blog. Contou até sobre o dia em que eu fui morar com eles. Mas, a partir de hoje, eu também vou contar algumas histórias aqui.

Vou começar contando um pouco da minha vida antes. Quando eu nasci, tinha muitos irmãos lá no canil. Então, cada um acabou indo para a casa de um humano diferente.

Eu fui morar com uma senhora em um apartamento. Ela era muito legal e cuidava de mim. Ela me ensinou a buscar a bolinha, me levou no veterinário para as primeiras vacinas e me colocou o nome de NINA.

Já falei de ela morava em um apartamento?! Bem, na realidade todos sabemos que GOLDENS RETRIEVERS podem morar em apartamentos, desde que mantenham uma rotina de exercícios.

A senhora era muito ocupada e passava o dia inteiro fora para trabalhar. Eu ficava sozinha. Sim. Um filhote (linda e querida) de Golden Retriever sozinha o dia inteiro em um apartamento. Obviamente não deu certo. Fui devolvida para o canil onde nasci. Em apenas 4 meses eu já tinha morado em 3 casas (canil, apartamento, canil).

IMG_20151223_185228

Estava me sentindo órfã e carente, mas, apesar de tudo, sempre fui alegre e sabia que um dia tudo iria melhorar. Acho que esta história daria um livro!?!

De NINA, virei POLIANA MARGARIDA. Gostei! Acho que terei uma Vida Golden!

 

A chegada de POLIANA

Hoje vou contar sobre a chegada da minha maninha POLIANA MARGARIDA. Sim. Tenho uma maninha GOLDEN RETRIEVER, assim como eu.

DSC03735

 

DSC03742

Resolvi contar no dia de hoje, 23 de maio, para fazer uma homenagem porque hoje ela está fazendo 4 aninhos. Todas as fotos deste post são do dia em que ela entrou em nossas vidas.

DSC03726

Em outubro de 2014 descobri o que meus humanos tanto procuravam na internet: uma maninha para me dar de presente de dia das crianças.

DSC03733

A POLIANA, uma pequena e magrinha GOLDEN RETRIEVER, chegou em nossa casa em um bonito final de semana que passamos em Porto Alegre. Eu já a conhecia porque durante a semana, meus humanos me levaram na casa da mamãe canina dela para ver se íamos gostar uma da outra. Na verdade, eu nem prestei muito a atenção porque tinha muita coisa para cheirar naquela casa diferente e cheia de cachorros.

DSC03730

Já a Poliana, quando alguém soltou, ela foi inacreditável. Ela foi correndo direto para as pernas da minha humana. Aliás, acho que esta é a última vez que escrevo MINHA humana. Agora, e para sempre, serão NOSSOS humanos.

Nossos humanos passaram o final de semana todo tentando ensinar a Poliana onde era o local certo do xixi. Mas quem acabou ensinando fui eu. KKKK. Brincamos bastante, mas o que achei mais legal foi que ela dormiu comigo na varanda. Somos iguais.

dsc03728.jpg

O melhor presente que já ganhei. Minha maninha do coração, que apareceu em minha vida.

POLIANA MARGARIDA, parabéns pelo aniversário de 4 ANINHOS!!!!!!

DSC03725

 

Castração

O que eu não sabia era que o banho e a tosa eram para me levar bem bonita para os titios veterinários. Lá na Clínica Veterinária Quatro Patas, a tia Marlene e o tio Ilson cuidam de mim desde que nasci. Meus humanos os conhecem porque minha maninha Julieta foi lá por 16 anos.

Passei o dia na veterinária porque tive que fazer uma cirurgia. Castração. É muito importante que se faça antes do primeiro cio para que a chance de a cadela não ter câncer de mama seja 100%.

Foi tudo muito tranquilo. Dormi e quando acordei já estava vestindo este fofo macacão.

CAM00232-1

Só acho que os titios não entenderam que eu era menina. O macacão tinha que ser rosa ou amarelo né? Mas fico bonita com qualquer cor.

A primeira noite foi ótima porque fazia muito frio e, por recomendação da anestesista, eu não deveria ficar na varanda. Então, pude dormir dentro de casa. Me comportei muito bem e ganhei muitos colinhos durante a semana que estava com os pontos.

IMG_20140427_105925-2

 

CAM00224-1

Hoje nem aparece minha cicatriz e eu não corro o risco de ter câncer.

Então, se você, fêmea ou macho, não pretende ter filhotes, peça para seu humano marcar uma consulta com um veterinário e conversar sobre os benefícios da castração. Não dói nada e é bom para nossa saúde.

Obrigada titia Marlene, titio Ilson e toda a equipe da Quatro Patas!!!

Trimming

Trimming é um corte especial do pelo, mantendo as características da raça e que é feito com tesouras, sem o uso de máquinas (como na tosa). No canil onde nasci, Franwill’s House Kennel  (www.franwillshouse.com.br), a tia Francine é especialista em trimming para Golden Retriever. Então meus humanos me deixaram lá em um final de semana (lá também tem hotelzinho) e a tia Fran me deu um banho e fez o corte para eu ficar bem bonita. E ela ainda me colocou uns estranhos pompons nas orelhas.

20180502_234609

Acho que deve ser moda no mundo dos humanos porque minha humana adorou.

Fiquei ainda mais linda, não fiquei?

20180426_234531

A tia Fran está com um site novo que ficou muito delicado e muuuuuito fofo:

http://www.franwillshouse.com.br                                                                                                           Ah! Esqueci de dizer que a modelo que está em todas as imagens do canil, é minha avó canina. Me acho muito parecida com ela.

 

 

 

 

 

 

 

 

Caminha………1

Bem….a caminha. O que é muito importante dizer é que eu nunca havia dormido em uma caminha na minha vida. No canil de onde eu vim, éramos muitos irmãos e primos. Era impossível cada um ter sua própria caminha. Então, eu custei muito para aprender para o que ela servia.

 

20180429_224539

20180429_224505

Só não entendo por que alguém faz uma caminha com coisas tão legais de brincar dentro, escondidas. Aquela espuma toda……..parecia neve, sei lá.

 

20180429_232548

Quando minha humana abriu a porta,  ficou muito brava e falava muitas coisas que eu não entendia. Era só um tal  de “-blá, blá, blá, blá, blá…” sem parar.

A vantagem de ser Golden é que resolvo tudo com minha carinha fofa, mas não escapei de ficar de castigo (sozinha na varanda). Aff.

 

20180429_232614

Treininhos (Adestramento)

Eu não tinha nem 3 meses de vida e os meus humanos fizeram um programa de treininhos (conhecido também por adestramento) que nós fazíamos duas vezes por dia, por 15 minutos. Era muito legal porque se eu acertava o comando, eu ganhava comidinha. Adoro  comer, mas como todo GOLDEN, também gostei de manter a reputação da raça: inteligente!

Hoje, 5 anos depois, eu sei uma porção de palavras e não ganho sempre comidinha em troca, principalmente quando tenho que fazer o NÃO. Ah! Se me perguntarem, digo com a maior certeza do mundo que o NÃO é o mais difícil de todos os treininhos. Sabem por quê? Porque tudo é NÃO. Ele serve para muuuuuuitas coisas, quer dizer, as vezes parece que serve para tudo.

Confesso que até hoje, eu não faço muito bem essa parte do NÃO.

O mais interessante do adestramento, é que depois de um tempo, eu nem precisava mais ouvir os humanos falarem. Com sinais ou até mesmo olhares, já sei o que querem que eu faça.

Vou contar o que sei fazer e me exibir com algumas fotos de quando eu era pequena.

20180207_214527DÁ A PATINHA

 

20180207_214223DEITA

 

20180207_214359RASTEJA

 

20180207_214122ROLA

 

20180207_214007TOCA AQUI

 

Outros comandos que aprendi nos primeiros meses de vida:

DE PÉ

GIRA

DE PÉ GIRANDO

FICA (Este também é muuuuuito difícil)

PARA TRÁS

A OUTRA PATINHA

AGRADECER

Quando temos visitas humanas aqui em casa, eu já sei que vou poder me exibir e mostrar tudo o que sei fazer. E, na maioria das vezes, os humanos dizem que seus caninos não fazem o que eu faço. Que orgulho!

Sempre honrando a raça GOLDEN RETRIEVER! Só tenho que…….

 20180207_214556AGRADECER